Fury

Há muito que deveria ter dado a minha opinião sobre o filme Fury, mas a preguiça impediu-me de o fazer. Maldita preguiça! Enfim… vamos a ela. Continuar a ler

Anúncios

The Expendables 3

Nem sei por onde começar… Esperava um enredo novo, com mais emoção. Esperava um filme recheado de mais acção, mais cenas de combate e não cenas fracas e desnecessárias como carros a voar e etc… Esperava um filme mais próximo da realidade e não tão previsível. Esperava muito e recebi tão pouco.

Dica: Para apreciar este filme deixe o cérebro à porta e deite fora qualquer lógica.  Continuar a ler

How to train your dragon 2

Sou fã do filme “Como treinares o teu dragão” e, naturalmente, não podia deixar de ver o 2. Admito que estava reticente quanto à sequela, nunca pensei que eles fossem capazes de pegar na história e dar-lhe uma continuação digna. Mas a verdade é que conseguiram pois o enredo é espectacular aliás, o filme é espectacular: recheado de acção, drama e comédia.  Que mais se pode pedir?

Passaram-se cinco anos desde a primeira batalha entre os Vikings e os dragões e Berk é agora um local pacífico, embora cheio de dragões. Hiccup e o seu grupo de amigos são agora adolescentes e “sofrem” dos problemas típicos da adolescência: o amor, as incertezas… etc. Estes “problemas” proporcionam cenas muito divertidas.

Continuar a ler

Blended

Em BlendedAdam Sandler e Drew Barrymore contracenam juntos pela terceira vez e nota-se bem a química entre os dois. Esta dupla nunca falha.

Esta é uma comédia típica de Adam Sandler. Daquelas que ele fazia há uns tempos atrás, antes de “Jack & Jill” e “Grown Ups” por exemplo. A personagem de Sandler não tem nada a ver com a típica personagem e não é o centro das atenções como tem vindo a ser. Talvez por isso, ou por Drew Barrymore fazer par com ele, Sandler está no seu melhor. É que Drew Barrymore é uma estrela no que toca a comédias românticas. Ela tem uma naturalidade e uma ternura que encanta. Além da química com Sandler, Barrymore também a tem com Wendi McLendon-Covey (parece que já são amigas há séculos) e com os miúdos, em particular com Emma FuhrmannAlyvia Alyn Lind. Quando contracena com as miúdas por breves momentos parece um filme completamente diferente. Spoiler alert Continuar a ler

Maleficent

Well, well… Que achei eu de Maleficent? Formidável é a palavra adequada para descrever este filme. Mas  muito se deve à fantástica performance de Angelina Jolie. Ela domina em todas as cenas que entra não dando hipótese aos outros actores: Elle Fanning (Aurora), Sharlto Copley (King Stefan) e Sam Riley (Diaval), que até fizeram um trabalho razoável. Angelina é sem dúvida a mais-valia deste filme.

Como irão ver no filme, de maléfica, a vilã só tem mesmo o nome. Nem mesmo o filme é tão “maléfico” e “negro” como seria de esperar. Pelo contrário, tem alguns momentos em que o humor abunda. Alguns poderão dizer que deveria ser mais negro, eu acho que teve a quantidade certa. Mas esta é a minha opinião.

Outro aspecto que contribui, em muito, para a qualidade do filme são: os efeitos especiais, os efeitos sonoros e o guarda-roupa que nos remetem para um mundo de fadas. Por breves momentos desejamos que a região mágica de Moors exista.

Conclusão: Foi uma sessão de cinema bem agradável, nem muito longa nem muito curta. No ponto!

Beijinhos, beijinhos

English version Continuar a ler

Mil e uma maneiras de bater as botas

Hoje foi noite de cinema. Estávamos indecisos entre “Mil e uma maneiras de bater as botas” e o novo filme de Paul Walker, “Brick Mansions“. Optamos pelo primeiro porque estávamos a precisar de umas boas gargalhadas. Precisávamos e continuamos a precisar porque o filme é, numa palavra, detestável.

O elenco até é cinco estrelas: Charlize Theron, Neil Patrick Harris e Liam Neeson, acontece que o filme, simplesmente não presta. A começar pelo actor principal, Seth MacFarlane. Coitado, não tem jeitinho nenhum para actuar. Quem lhe disse que ele era actor, enganou-o bem. E as piadas? São piadas que não têm piada nenhuma. As melhores já conhecemos do trailer, as novas são todas relacionadas com sexo, flatulência e defecação, algo que não é do meu agrado. Outro aspecto que também não é do meu agrado, é a duração do filme. Ele é tão longo, mas tão longo, que dá vontade de abandonar a sala do cinema e voltar só no fim para ver os créditos. spoiler alert  Continuar a ler